foto1

Pajuçara Management começa com as melhores empresas para se trabalhar em Alagoas

Processo de gestão de pessoas, feedback, transparência e portas abertas foram os segredos apontados pela Santa Casa de Misericórdia Santa Casa de Misericórdia, a System Idiomas e a Uniodonto para conquistarem o prêmio melhores empresas para se trabalhar em Alagoas. Elas são ganhadoras em 2015 e apresentaram suas melhores práticas adotadas durante o painel Great Place to Work (GPTW), na abertura do Pajuçara Management 2016, agora à noite, no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso.

A Santa Casa de Misericórdia Santa Casa de Misericórdia, a System Idiomas e a Uniodonto estão entre as dez melhores empresas para se trabalhar no Estado. De acordo com a Daniele Maciel, presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABHR-AL), o prêmio foi trazido para Alagoas – em 2015 foi a primeira lista – graças a parceria com o Pajuçara Sistema de Comunicação (PSCOM).

“Quero agradecer a André Varjas por ter topado desafio de trazer o prêmio para Alagoas e por todo espaço que ele tem dado à ABRH-AL. A missão do GPTW é constituir uma sociedade melhor e ajudar empresas a transformar seu ambiente de trabalho, que se mistura com a missão da ABRH e do PSCOM. Quando o Pajuçara Eventos realiza um evento como o Pajuçara management, traz para Alagoas as práticas exitosas do Brasil e do exterior para que a gente consiga ampliar nossa visão e alcançar outros resultados”, declarou Daniele Maciel.

Em Alagoas, há a participação de 23 empresas que estão sendo avaliadas por seus colaboradores e já são 23 mil funcionários impactados.

“Nosso Estado saiu à frente da Bahia e nosso objetivo é fazer as empresas melhorarem a lucratividade e a representatividade, mas também as relações de trabalho, o clima organizacional e a valorização das pessoas. Uma empresa que é a melhor para se trabalhar em Alagoas é a melhor empresa para se trabalhar no mundo”, confirmou a presidente da ABRH-AL, acrescentando que toda a pesquisa do GPTW é gratuita e podem participar empresas que tenham acima de 30 colaboradores.

foto2

Segundo Silvo Melo, representante da Santa Casa de Misericórdia, a participação da empresa na pesquisa serviu para trabalhar melhorias e adotar anualmente esse canal de comunicação. Na próxima semana estaremos iniciando a pesquisa 2016.

“Esse trabalho de gestão de pessoas, de estabelecer mudança de cultura organizacional nós implantamos e já estamos trabalhando há dez anos. Essa pesquisa que implantamos nos traz informações e uma sinalização muito importante do nosso colaborador. Esse retorno é fundamental para nós”, destacou.

Vanessa Tenório, da System Idiomas, revela que a empresa já havia definido em seu planejamento a participação no GPTW.

“Um dos principais objetivos era ter uma pesquisa externa na qual a empresa fosse julgada pelos funcionários, o que é muito interessante. Foi uma maneira muito interessante de levantar essa satisfação com nossos próprios funcionários. Uma das práticas mais interessante que instituímos na empresa é a do feedback e conseguimos, de imediato, resultados. Existe também um diálogo constante e as portas do nosso RH e dos gestores estão sempre abertas para ouvir o que nosso funcionário tem a dizer. Esse prática, essa troca é muito importante. No entanto, a formalização disso é um divisor de águias na nossa gestão”, revelou.

Já Maria Sônia Costa destaca que a participação da Uniodonto foi, de início, mais por curiosidade, para saber o que os outros pensam sobre a empresa.

“Essa pesquisa interna, quando chegou a proposta do prêmio, nos despertou porque seríamos avaliados e saberíamos o que seria necessário fazer a mais daquilo que nós já fazíamos e o que faltava para que perseguíssemos a excelência junto aos nossos colaboradores. Nós partimos da premissa que a organização se faz a partir de pessoas, de seres humanos e nada mais obvio que valorizar essas pessoas, ouvi-las, porque é com elas que vamos compartilhar e dividir o nosso dia a dia. Na Uniodondo, estabelecemos uma mudança de cultura de dez anos para cá que nosso colaborador precisa estar satisfeito e feliz não só por receber seu salário de forma digna, mas também estar feliz por fazer parte da nossa empresa”, revelou.

  • Denilson

    Quais foram as dez melhores empresas?? não podem divulgar??